31 May 2006

Pray for the sick but do not tell them!

A recent study to find out the effect of praying for people undergoing a heart surgery is very surprising. The patients were split into three groups. The first group was told that devoted people would pray for a successful surgery and a recovery without troubles. All of them received the prayers. The second group was told that they could receive the prayers and in fact they were included in the group which received the prayers. The third group were also told that they could receive the prayers but they were not included among those who received the prayers. When the surgery was performed and for 14 days after that, the patient names selected to be prayed for were given to three churches, one Protestant and two Catholics, and were cited during the religious ceremony.

The result? All patients were followed for 30 days and all surgery complications were documented. Among the patients of the third group, those who did not receive any prayer, 51% had minor complications. In the second group 52% also had some minor complications. But among those of the first group, which were sure that people prayed for them, 59% had minor complications! The authors of the study propose that the first group got upset by knowing that people would pray for them so they were under more stress than the other two groups. Well, well...

More details can be found in "Study of the Therapeutic Effects of Intercessory Prayer in Cardiac Bypass Patients", Am. Heart J.,151, 762 (2006). Some comments appeared in the Brazilian newspaper Estadão (in Portuguese only).


I found some interesting quotes in Lemniscatas 2:

-God is real, unless declared integer.

-All models are wrong. Some are useful.

-Take care to get what you like or you will be forced to like what you get.

-War does not determine who is right - only who is left.

-Support bacteria - they're the only culture some people have.

-In science as in love, too much concentration on technique can often lead to impotence.

-If you think you are too small to make a difference, try sleeping in a closed room with a mosquito.

Textos de física on-line

Vários textos sobre relatividade, teoria de campos, cordas e matemática que estão disponíveis on-line foram coletados por Dimitri Terryn. Vale a pena coloca-los no seu bookmarks.

30 May 2006

Statements made by a soul accepted in court

As in any other country most Brazilians believe in some form of religion. One of them is called "espiritismo" from the French "spiritisme". It started with Allan Kardec in France around 1850 and it is now spread all over Brazil and only in Brazil I think. Kardec followers usually are Catholics which believe in life after death. More than that you can communicate with the dead. One of the most common forms of communication is through a medium which writes in a piece of paper what the spirits tell him(her). Usually you go to a séance, tell the name of the dead and the death date, and then receives a sheet of paper with a message. Some years ago some reporters went to a séance and gave the name of living people and of course the medium wrote some messages showing that is all fake. Now you have to present a death certificate before asking for messages so they are becoming smarter.

Today one of the main Brazilian newspaper published a note saying that two such letters were presented in court. The article is here (only in Portuguese). It all started in 2003 when a man called Ercy aged 71 was shot dead. A woman called Iara, which had an affective relationship with Ercy, hired Ercy's housekeeper with a plan to scare Ercy to death. And that was what happened. Ercy died, the housekeeper was convicted and Iara was tried this week. The oddity is that a medium was asked by Ercy to deliver two letters, one to Iara and another to her husband. The letters say that Iara is innocent of his killing and that all is happening because of evil people like those who killed him. The letters were read in court and at the end she got free by the jury by 5 to 2. Do not ask me why Ercy did not tell in the letters who killed him !!!

27 May 2006

Gravitational lens picture

A new picture of Hubble Space Telescope shows a nice collection of images from a quasar and a galaxy due to the gravitational lens effect. For an explanation see the article in
New Scientist

A new class of gamma ray bursts?

Some now and then it is possible to catch a flash of energetic gamma rays that can last from seconds to hours and happen about once per day in random positions in the sky. They are known as gamma ray bursts (GRB) and were found in the 60's when satellites were looking for gamma ray pulses from nuclear weapons on Earth. Since then many dedicated satellites were launched to study them. There are proposals to explain some of mass extinction on Earth as being due to a nearby GRB.

There are two categories of GRB: the short bursts and the long ones which last for more than two seconds. It seems that there is a consensus about the origin of the long bursts but the situation for the short duration bursts is still inconclusive. A good review on GRB can be found in the Wikipedia.

Now a team of astronomers are proposing a
new class of intermediate bursts
after a GRB that was detected in January 2006. It looks like a short GRB but it seems to be too far away. If they are right the amount of energy released is incredible high. GRB are important because they may need new physics for a full understanding of its properties.

18 May 2006

A física de partículas elementares aqui e lá

Enquanto no Brasil a física das partículas elementares continua sendo mal vista pelas agências financiadoras de pesquisa e por colegas fora da área (veja o porquê aqui), nos EUA ela ganha suporte até de jornais famosos. O último editorial do New York Times Renewing America's Commitment to Research in High-Energy Physics é impressionante, principalmente por ter sido escrito por um editor de jornal que não é formado em ciências. Quando chegaremos a este ponto por aqui? Mais comentários sobre o editorial no blog do Daniel.

Witten no Brasil

Parece que pouca gente está sabendo, mas Ed Witten virá ao Brasil para participar do International Congress on Mathematical Physics , que será promovido pelo IMPA no Rio de Janeiro, de 4 à 11 de agosto. Lisa Randall também participará e aparentemente dará um colóquio para o público em geral.

No Encontro Nacional de Partículas e Campos, que será realizado em Águas de Lindóia (ainda não há um link disponível para o encontro), deverão vir David Gross, prêmio Nobel de 2004, e Leo Susskind. Teremos muita landscape no Encontro e parece que vai haver uma mesa redonda para discutir o assunto! Só espero que não haja nenhuma votação como aconteceu em Toronto no ano passado. Vai ser divertido...

16 May 2006

Notas de Física-Matemática

A profa. Carmen era muito conhecida. Quase todos os físicos de São Paulo fizeram algum curso de física-matemática com ela até a sua morte em 1989. Eram aulas excepcionais. Ela distribuia notas do curso e muitos, como eu, ainda as têm. Agora, o João Barata e outros colegas, editaram as notas que saiu sob a forma de livro, Notas de Física Matemática - Equações Diferenciais, Funções de Green e Distribuições, pela Livraria da Física. Para quem não conheceu a profa. Carmen, há um prefácio dos editores com informações sobre ela e sobre o livro.

15 May 2006

What a day!

During the weekend São Paulo was attacked at night by gangs under the order of PCC, the First Command of the Capital, a criminal organization whose leaders are in prison. Apparently the police found out that they were planning a generalized revolt in all prisons for last Sunday, which in Brazil was Mother's day. They gathered all the heads of PCC and sent them to an isolated place so that they could not organize the revolt. This started everything. Gangs lead by PCC attacked police stations, set buses on fire, attacked banks and started prisons uprisings. More than 70 people died. And the prison uprisings started to spread to other states.

Today many buses did not run. People could not go to work. Too many cars in the streets. Chaos. The colloquium I organize was canceled because the speaker arrived too late. But aside that the day was taken by rumors. A bomb in the philosophy department, a doctor killed in the university hospital, Congonhas airport closed, and the lot. Only rumors. Rumors not only in the university but all over the city. As a consequence schools were closing at noon, shopping malls closing early, the university closing in the evening, and then all workers were dismissed earlier and went home. Again chaos to go back home.

But all seems calm now. Only two prison uprisings still going on and no attacks during the day. Let us see what happens during the night. Politicians talk a lot, propose solutions, but everybody knows that when the violence ends all words will be forgotten.

14 May 2006

Uranium smuggling from Brazil

The cover of one of the main Brazilian weekly magazines is about the smuggling of Brazilian uranium. Even though well informed people no longer believe in the stories published by weekly magazines in Brazil (because they are politically oriented and it is election year), the uranium case makes sense. After all, Brazil has a huge reserve of radioactive material (this is official) and exportation is quite tiny. Right now Brazil is able to process a small amount of radioactive minerals for use in the two existing commercial reactors so we all wonder where all the unprocessed radioactive material ends up.

All started when the Brazilian federal police arrested 18 bags of a granulated dark mineral in a truck in Amapá in July 2004. Amapá is a state in the extreme north of Brazil, has a small population, is distant of everything else, and it is known to have a large amount of radioactive minerals. After close examination the bags revealed to contain minerals rich in uranium and thorium. Then a secret investigation was started by the federal police which uncovered an international gang which waspecializeded in the search, extraction and smuggling of this material.

The search and extraction is made in collaboration with local people. They stock bags of radioactive mineral in their homes and are unaware of its danger. Then the gang go after the paperwork needed to export the material. Local and federal authorities got involved to issue illegal permissions. And then the mineral is sent to Europe, Asia and Africa and also to Russia, North Korea and possibly to international terrorist groups. Many names are cited by the magazine, including Haytham Abdul Rahman Khalaf which seems to be linked to Hamas, an attorney general and some politicians.

Besides being an international distribution point for drugs now Brazil is also providing radioactive minerals to the world. A big step backwards.

12 May 2006

Sobre a nudez do rei

Osvaldo Schilling, do Departamento de Física da UFSC, enviou um texto muito bom para o Boletim da Sociedade Brasileira de Física: A nudez dos reis e a “Ciência” no Brasil. Ele cita o caso de um pesquisador, "dono" de um equipamento sofisticado, e que aparece como colaborador em todos os papers que utilizam o tal equipamento. Obviamento tal pesquisador tornou-se 1A no CNPq devido ao volume de suas publicações e usualmente recusa-se a dar seminários ou discutir seus trabalhos.

É claro que esse não é um caso isolado. Existem outros pesquisadores "produtivos", que participam de trabalhos com um grande número de colaboradores, no Brasil ou no exterior, que conseguem abocanhar um número grande de citações, mas que nunca discutem seus trabalhos ou apresentam seminários. Ou quando o fazem, os problemas da física são abordados de forma superficial ou transformados em problemas de outra natureza. Trata-se de uma prática que parece estar tornando-se tão comum a ponto de merecer os comentários enviados à SBF.

Esse é um desvio sério ao qual as agências financiadoras deveriam estar mais atentas, pois mais cedo ou mais tarde tais "pesquisadores" passarão a ter um papel decisivo sobre a política científica e aí será o desastre final. Porém, fica a pergunta: será que isto já está ocorrendo?

Colóquio sobre gripe aviária

Isaías Raw, diretor do Instituto Butantã, deu um colóquio excepcional sobre a gripe aviária. Com seus mais de 70 anos, e muita experiência acumulada ao longo desse tempo, mostra uma disposição para o trabalho que raramente é vista nos pesquisadores mais jovens.

Ele começou o seminário traçando as diferenças entre o DNA e o RNA e as propriedades que o vírus da gripe aviária possui. Deu muitas informações importantes. Participou de várias reuniões internacionais sobre uma eventual pandemia. Vai ser um salve-se quem puder. As indústrias farmaceuticas do primeiro mundo não estão preparadas para produzir um número suficiente de vacinas e cada país vai obviamente vacinar primeiro parte de sua população. O terceiro mundo vai ficar completamente desamparado. Ele propos que quando aparecesse o primeiro foco da epidemia, provavelmente no oriente, houvesse uma vacinação em massa da população local, mas sua proposta foi descartada.

Por essa razão ele está construindo uma fábrica de vacina da gripe aviária no Butantã. Serão utilizados ovos de galinha para a produção do vírus e porisso a vacina vai ser muito mais barata do que a produzida no exterior. Ele criticou fortemente a inexistente indústria farmaceutica brasileira que so é capaz de embalar produtos trazidos de fora. Numa eventual pandemia, o Brasil não terá como produzir antibiótico suficiente para tratar as infeções resultantes da gripe. Ele mencionou que a única indústria nacional produtora de insulina foi comprada por uma multinacional e foi sucateada. Agora está fechada e toda insulina é importada. O CADE, que se preocupa com a guerra dos refrigerantes e cervejas, sequer pronunciou-se sobre o fato.

Ressaltou a importância do Butantã ter pesquisa básica, desenvolvimento e produção de vacinas, fonte de seu sucesso, enquanto outros institutos governamentais optaram apenas por embalar os medicamentos. Lembrou a forte resistência das multinacionais contra o Butantã, por produzir vacina barata e com isso permitir ao governo fazer campanhas de vacinação em massa, campanhas essas inexistentes em outros países subdesenvolvidos. Mais ainda, reconheceu que no Brasil há um enorme fosso entre a universidade e a indústria, entre a pesquisa básica e a produção. E que enquanto essa distância não for diminuída continuaremos a ser um país de terceiro mundo.

Longa vida ao velho mestre.

UPDATE: Deveria ter fornecido alguns links sobre a gripe aviária mas esqueci de faze-lo. Um bom conjunto de links pode ser encontrado no final deste post do Daniel Ferrante.

09 May 2006

Discovering the Quantum Universe

Enquanto no Brasil a física de partículas elementares encontra dificuldades, conforme meu post anterior, nos EUA a situação é bastante diferente. A HEPAP, uma espécie de comitê assessor da área de partículas, acaba de produzir um documento, Discovering the Quantum Universe, onde explica os objetivos da pesquisa da física de altas energias para o público leigo. É um documento de 44 páginas muito bem produzido, que pode ser lido on-line ou downloaded num artigo pdf. Quem quiser, também pode pedir uma cópia em papel. É de graça. O objetivo é esclarecer ao público americano a necessidade de se construir um novo acelerador de partículas. Quero apenas mencionar que o último capítulo é dedicado à teoria de cordas como uma provável extensão do modêlo padrão!

Landing on Titan: the movie

NASA released a composition of images and sounds from Huygens probe during its landing on Titan on January 14, 2005. The landing took more than four hours but it is shown in the movie in less than five minutes. The sounds are associated with rotational speed and the tilt of the parachute, the probe's heat shield hitting Titan's atmosphere, parachute deployments, heat shield release, jettison of the camera cover and touchdown. Have a good time.

08 May 2006

No gravitational waves found by LIGO

The LIGO collaboration just announced that no periodic gravitational waves were found in some frequency bands. Such gravitational waves are expected to be generated by neutron stars. They looked for coincidences between the two interferometers at Livingston and Hanford. It seems that finding gravitational waves are becoming a sort of Mission: impossible.

04 May 2006


Há cerca de um mes atrás postei uma nota sobre uma possível descoberta de axions, uma partícula cuja existência é necessária para resolver o problema de CP nas interações fortes. Na época não encontrei nenhum artigo bom o suficiente para ser mencionado. Hoje foi publicado no Nature algo compreensível: Particle Physics: The first axion?. Bom divertimento.

03 May 2006

A extinção da física das partículas elementares no Brasil

No dia 26 de abril, a Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos lançou um documento de 140 páginas com o título: “Revealing the Hidden Nature of Space and Time: Charting the Course for Elementary Particle Physics”. Nele, a Academia de Ciências faz ao governo americano uma proposta para o desenvolvimento da área da física das partículas elementares para os próximos 15 anos. Trata-se de um texto bem trabalhado, onde os objetivos científicos são detalhados e as ações necessárias para atingi-los são explicitadas.

A física das partículas elementares tem por objetivo estudar os constituintes fundamentais da matéria e do universo e procura responder a perguntas milenares tais como: Qual a natureza do espaço e do tempo? Qual é a origem da massa? Como foi o princípio do universo? Como ele evoluirá no futuro? As principais ações recomendadas são a continuação da participação americana no acelerador de partículas LHC (Large Hadron Collider) do CERN (Organisation Européenne pour la Recherche Nucléaire), o laboratório europeu de física de altas energias localizado na Suíça, e a construção de um novo acelerador de partículas denominado ILC (International Linear Collider) nos Estados Unidos. O documento enfatiza que a construção do novo acelerador, que contará com a participação de diversos países, deverá estar necessariamente sediada nos EUA, de forma a resgatar a liderança americana na área de altas energias. Tal liderança encontra-se ameaçada pois quando o LHC entrar em funcionamento no próximo ano a Europa será o carro chefe da área. A construção do ILC em solo americano é colocada como um assunto estratégico para o governo americano. O documento é tão importante que foi imediatamente noticiado pelo New York Times, The Economist e Nature.

Em contraste, a atenção que a área de altas energias desperta no governo e nos órgãos de fomento brasileiros deixa muito a desejar e nem de longe reflete a importância que ela representa para os americanos e europeus. Apesar da física brasileira ter nascido exatamente na área das partículas elementares na década de 30, e de ter crescido o suficiente a ponto de termos grupos competentes participando de experimentos importantes nos grandes aceleradores, como o Fermilab (Fermi National Accelerator Laboratory) nos Estados Unidos e o CERN na Suíça, até hoje não foi definida uma política mínima para área. Os recursos são sempre escassos e nenhum planejamento de longo termo existe (exceto para os Projetos Temáticos da Fapesp que duram até quatro anos). Enquanto os Estados Unidos fazem planos para os próximos 15 anos, as agências financiadoras federais são incapazes sequer de definir metas de curto prazo para área.

Não é claro, pelo menos para mim, a razão pela qual a área de partículas elementares recebe tal tratamento. Na última chamada para Institutos do Milênio, por exemplo, foram apresentados três projetos na área e nenhum deles foi contemplado. As propostas vencedoras eram todas em ciência aplicada. Houve a promessa de que haveria um edital exclusivo para a área, na qual os diversos grupos brasileiros disputariam entre si. Novamente, nada se concretizou. Parece haver uma tendência de se apoiar apenas ciência aplicada no Brasil e isso é um grande erro. Não é possível criar um ambiente de desenvolvimento tecnológico sustentado sem um forte apoio da ciência básica. Nenhum país conseguiu tal proeza. Os tigres asiáticos e a China investem maciçamente em ciência básica. Alguns colegas chegam ao ponto de defender a posição de que deveríamos enfatizar bastante o retorno social do estudo das partículas elementares. Obviamente não concordo com essa atitude. Mas de fato, parece haver um desconhecimento generalizado de que a construção de um acelerador gera uma enorme onda de inovação tecnológica. Um exemplo disso é o fato de poucos saberem que a World Wide Web, que usamos cotidianamente, foi criada no CERN. Os feixes de partículas gerados por aceleradores são utilizados na indústria para P&D, produção, testes e controle de qualidade. Muitas aplicações importantes na medicina e em outras áreas da física, química e biologia foram decorrência dos desenvolvimentos gerados pela física das partículas elementares. Entretanto, deve-se sempre ressaltar que o objetivo da área não é a produção dessas aplicações mas sim a compreensão da natureza. O estudo das partículas elementares é ciência básica e como tal deve ser tratada. E as agências de fomento têm que dar apoio, independente de qualquer retorno social imediato.

Um outro foco de resistência parece ser a forma como os grandes laboratórios de altas energias são organizados. Devido à complexidade dos experimentos, cada um congrega centenas e até milhares de cientistas. Todos têm o seu nome colocado nos trabalhos publicados, independentemente das atividades exercidas. Fica realmente difícil analisar a contribuição individual de cada cientista nessa situação. As agências de fomento têm uma grande dificuldade para avaliar a participação dos brasileiros nesses experimentos e isso é compreensível. Afinal, como distinguir entre um físico dedicado que vai ao CERN e trabalha diariamente no acelerador, de uma pessoa que quer apenas esquiar e tomar um copo de vinho no Mont Blanc? Esse não é um problema brasileiro, ele ocorre também nas agências financiadoras americanas e européias. Se eles resolveram o problema nós também podemos fazê-lo. É necessário que nossas agências de fomento tornem-se familiarizadas com tais procedimentos e estejam equipadas para fazer esse tipo de trabalho e não utilizar a impossibilidade de uma avaliação rigorosa como motivo para negar auxílio para a área.

Outro ponto importante é a alegação de que a participação brasileira nos grandes aceleradores custa caro. Uma conta simples, encaminhada às agências de fomento, mostra que isso não corresponde à verdade. Em média, o custo de cada pesquisador num grande acelerador está dentro da média do que é gasto para apoiar um pesquisador experimental nas demais áreas da física. O problema é que, na maioria das vezes, os recursos são solicitados por um período de tempo longo dando a impressão de que se gasta mais. Por outro lado, na minha opinião, existe uma grande distorção na alocação de recursos. O acelerador LHC do CERN, que entrará em funcionamento no ano que vem, possui cinco experimentos. Correspondem aos cinco detectores que irão coletar e analisar os dados das colisões. O Brasil participa atualmente em três experimentos e é quase certo que deverá se envolver em mais um deles. Isso é um exagero. As agências de fomento financiam de forma bastante precária essa participação brasileira. Os recursos são exíguos e insuficientes para as necessidades, usualmente não se sabe quando serão liberados e não é possível fazer nenhum planejamento de longo prazo, inviabilizando uma participação decente nos experimentos. O correto seria que o Brasil participasse de apenas um dos experimentos com verbas de longo prazo garantidas e em quantidade suficiente para garantir uma plena participação. Os grupos interessados deveriam submeter seus projetos e uma comissão avaliadora deveria recomendar apenas um deles, ou a fusão dos projetos qualificados que apresentem objetivos similares. Assim é feito na Europa e nos EUA. Porque não pode ser feito aqui? Porque financiar precariamente todos os projetos? É muito mais produtivo dar apoio contínuo e integral a apenas a um projeto bem qualificado do que permanecermos na situação atual.

A física de altas energias está sendo extinta no Brasil. Os pesquisadores estão cansados de explicar suas necessidades às agências financiadoras. Estão cansados de serem tratados de forma humilhante quando pedem apoio de longo prazo. Estão deixando a área pela pura impossibilidade de manter seus programas de pesquisa nos grandes aceleradores. É necessária uma linha de auxílio específica para a área, como acontece em outros países. Não se está pleiteando aumento de verbas mas sim a possibilidade de apoio a projetos de longo prazo. A ciência brasileira corre o risco de perder uma das mais importantes linhas de pesquisa do mundo moderno por não valorizar a pesquisa básica. Enquanto isso, ocorre exatamente o contrário nos EUA, onde Academia Nacional de Ciências reconhece a importância da área e faz questão de trazer o novo acelerador para solo americano. Nas palavras da Academia: “Strategic Principle 1: The committee affirms the intrinsic value of elementary particle physics as part of the broader scientific and technological enterprise and identifies it as a key priority within the physical sciences.”

Nada mais há a dizer. Novamente a ciência brasileira rema contra a maré.

01 May 2006

Ministro da educação propõem avaliação das universidades federais

Numa entrevista para a Folha de hoje (infelizmente o acesso é apenas para assinantes), o ministro da educação comenta vários pontos da nova versão do projeto de reforma universitária. Dentre as novidades, Fernando Haddad anuncia que o governo adotará critérios de avaliação para a concessão de verbas para as universidades federais. Serão levados em conta o número de concluintes, diplomas expedidos, relação de alunos por professor, produção científica em revistas indexadas, registro e comercialização de patentes e a oferta de cursos noturnos. Se a proposta se concretizar será um grande avanço para o sistema de ensino público. Esta proposta poderia aumentar as diferenças regionais mas o ministro promete levar em conta não o valor absoluto desses indicadores mas sim sua taxa de crescimento. Infelizmente veremos a mobilização daquela parte improdutiva das universidades que não quer nenhum tipo de avaliação séria. Como são extremamente ativos e articulados, já que não se dedicam às atividades produtivas da universidade, é muito provável que eles consigam retirar este ponto da reforma universitária.

Outro ponto importante, embora polêmico, é o ensino à distância. O ministro promete que será restrito à formação continuada de professores do ensino básico e médio. Sem dúvida, tais professores necessitam urgentemente serem reciclados. Porém, se essa é a melhor maneira de fazer isso não é claro. Certamente, quando o ensino à distância parar na mão das univesidades privadas será uma festa.

Aliens, fast food and sex

A very interesting article has appeared in Seed Magazine, Why we havent met any aliens. It is a new attempt to explain why we have not yet found any extra-terrestrial life and why we are addicted to fast food and pornography. The author is Geoffrey Miller, a professor of evolutionary psychology at the University of New Mexico. I don't think it can be taken seriously but it is a good reading.